Netflix define quando começará a bloquear compartilhamento de senhas

Por Durval Ramos | Editado por Jones Oliveira | 23 de Janeiro de 2023 às 15h30

clique para compartilhar

Link copiado!

Tudo sobre Netflix
ver mais

A cobrança pelo compartilhamento de senhas da Netflix deve começar muito em breve. Embora a empresa ainda não tenha oficializado uma data para iniciar a taxar quem divide sua conta com amigos e familiares, ela já sinalizou que a novidade deve chegar já nos próximos meses e que muita gente precise rever seus perfis já em março.

Durante a apresentação de resultados do último trimestre de 2022, a companhia afirmou que pretende mudar sua política de compartilhamento e fazer essa cobrança adicional já nos primeiros meses de 2023, mais especificamente no fim do primeiro trimestre.

Isso significa que o cronograma proposto pelo streaming é que o valor extra para quem divide a conta comece a ser cobrado já a partir do fim de março. Nada foi dito sobre qual será o valor cobrado, mas os países em que a modalidade foi testada apresentaram algo próximo aos US$ 3 — cerca de R$ 15,60 na cotação atual —, o que já é bem mais econômico do que duas contas separadas.

Ainda assim, há uma certa expectativa e apreensão pelo resultado que essa mudança de postura por parte da Netflix vai trazer na sua base de assinantes. Segundo a empresa, estima-se que mais de 100 milhões de contas em todo o mundo faça algum tipo de compartilhamento e que isso vem afetando o crescimento a longo prazo da companhia e afetando sua capacidade de investimentos. O problema é que a cobrança adicional pode criar um efeito reverso do que se espera.

Cobrança x cancelamento

O streaming testou essa taxação em alguns países da América Latina, como Costa Rica, Peru e Colômbia. O que se percebeu nesses mercados foi um aumento no cancelamento de assinaturas como uma espécie de reação por parte do usuário. Por isso mesmo, acredita-se que o lançamento global da cobrança vai afetar o crescimento da empresa no curto prazo.

Contudo, a aposta da Netflix é que a nova política mude o comportamento desse usuário, conforme os dados registrados nesses países-teste já apresentaram. O que companhia constatou foi que, com o tempo, o total de ativações de contas que antes pertenciam a alguém que emprestava a senha de terceiros também subiu — e a expectativa é que isso traga o aumento de receita desejado.

Ainda assim, é algo que deve acontecer apenas a médio e longo prazo.