Meta é multada em R$ 1,46 bilhão por vazamento de dados

Por Giovana Pignati | Editado por Claudio Yuge | 29 de Novembro de 2022 às 12h00

clique para compartilhar

Link copiado!

A Meta foi multada em € 265 milhões (cerca de R$ 1,46 bilhão) pela Comissão de Proteção de Dados (DPC) da Irlanda, após um vazamento de dados em abril de 2021 expor as informações de mais de 533 milhões de usuários. Esta é a terceira multa imposta à big tech pela DPC, somente neste ano.

Segundo a reportagem do portal The Verge, as investigações começaram logo que o vazamento foi noticiado e envolveu um exame para saber se o Facebook cumpria as leis do Regulamento Geral de Proteção de Dados — a LGPD europeia. O site Insider detectou que as informações vazadas foram publicadas em um fórum de hackers online, incluindo nomes completos, números de telefone, locais e datas de nascimento de usuários do Facebook de 2018 e 2019.

Na época em que o vazamento foi noticiado, a Meta afirmou que as informações foram obtidas através de uma vulnerabilidade corrigida em 2019 e que são as mesmas informações envolvidas em um vazamento descoberto em janeiro de 2021, pela Motherboard.

Meta já foi multada em quase R$ 3,7 bilhões em 2022

Somente a DPC já multou a Meta em quase US$ 700 milhões (R$ 3,7 bilhões) em 2022. Em março, o órgão aplicou uma punição de US$ 18,6 milhões (R$ 98,87 milhões) devido à manutenção incorreta de registros sobre uma série de violações de dados de 2018, em que foram expostos dados de até 30 milhões de usuários.

Em setembro foi a vez do Instagram, em que a Meta foi condenada a pagar US$ 402 milhões após uma investigação sobre o tratamento de dados de adolescentes pela rede social. Esta é a terceira penalidade aplicada à big tech pela DPC, somente neste ano.

Sobre o assunto, um porta-voz não identificado da Meta deu uma declaração à repórter Jess Kelly, do Newstalk, que diz: Fizemos alterações em nossos sistemas durante o período em questão, incluindo a remoção da capacidade de raspar nossos recursos dessa maneira usando números de telefone. A extração de dados não autorizada é inaceitável e contra nossas regras e continuaremos trabalhando com nossos colegas nesse desafio do setor. Estamos analisando esta decisão com cuidado.”

A Meta não respondeu ao pedido de comentário do portal The Verge.

Fonte: The Verge