Review Intel Core i9 13900K | Tão potente quanto quente

Por Ramalho Lima (Maldditu Xavier) | Editado por Léo Müller | 18 de Janeiro de 2023 às 16h45

clique para compartilhar

Link copiado!

No final de setembro do ano passado, a Intel anunciou os primeiros processadores de sua 13ª geração de chips desktop, os Raptor Lake. Dentre eles, está o Core-i9 13900K, o mais poderoso processador desktop já criado pela fabricante americana. O chip foi criado para manter a empresa como líder no segmento gamer, e também para reafirmar sua posição no mercado voltado para alto desempenho.

Eu testei o Core-i9 13900K por alguns dias, e fiquei surpreso ao comprovar que o chip é realmente muito rápido, tanto em jogos como em qualquer outro tipo de atividade. Também aproveitei o review da CPU topo de linha da Intel para fazer um comparativo entre ele e o Ryzen 9 7950X, o chip desktop mais rápido da AMD.

Vale a pena comprar o i9 13900K? Para saber a resposta, acompanhe o review até o fim!

Prós

  • Incrível desempenho em jogos
  • Incrível desempenho em multitarefa
  • Suporta memórias DDR4

Contras

  • Esquenta muito
  • Consome muita energia
  • Preço

Configuração dos PCs de teste

Para testar o Core-i9 13900K, eu usei a placa-mãe enviada pela Intel em conjunto com as peças que temos disponíveis no Canaltech.

Hardware Intel

  • Placa-mãe MSI PRO Z790-P DDR4 (BIOS 7E06v13 )
  • 16 GB de RAM DDR4 Kingston Fury Renegade 4.000 MHz CL 19 2x 8 GB

Hardware AMD

  • Placa-mãe Aorus Master X670E (BIOS F8h)
  • 32 GB de RAM DDR5 G.Skill Trident Z5 Neo 6.000 MHz CL30 2x 16 GB

Hardware compartilhado

  • Placa de vídeo Nvidia RTX 3090 Asus ROG Strix Gaming 24 GB
  • SSD Samsung WD Black SN750 500 GB
  • Water cooler Cooler Master MasterLiquid ML360L V2 ARGB
  • Fonte XPG Core Reactor 850 W Gold

Software

  • Windows 11 Home Versão 22H2 Build 22621.963
  • GeForce Game Ready Driver versão 527.56

Ficha técnica do Intel Core-i9 13900K

  • Núcleos / threads: 24 (8 P-Cores + 16 E-Cores) / 32
  • Clock base / turbo: 3,0 GHz (P-Cores) e 2,2 GHz (E-Cores) / 5,4 GHz (P-Cores) e 4,3 GHz (E-Cores)
  • Cache: 36 MB
  • Gráficos integrados: UHD Intel 770
  • Arquitetura: Raptor Lake
  • Soquete: LGA 1700
  • Litografia: Intel 7 (10 nm)
  • Temperatura máxima: 100º C
  • TDP: 125 W

Testes com software de benchmarking

Os softwares de benchmarking são um ótimo quebra-galho para determinarmos o desempenho de peças de hardware. Eles podem simular aplicações reais ou medir a performance de um processador com relação a uma função específica.

Nós utilizamos bastante os apps da suíte 3DMark, como o Fire Strike, o Fire Strike Extreme, o Time Spy e o CPU Profile. Infelizmente, eu não consegui rodar o PCMark 10 com o i9 13900K. Pode ter havido alguma incompatibilidade entre o programa, a plataforma da Intel e o Windows 11.

De maneira geral, ambas as CPUs oferecem desempenho espetacular, seja em games ou em criação de conteúdo. O Core-i9 13900K poderia ter apresentado resultados melhores nos benchmarks. Mas o fato é que o chip topo de linha da Intel esquenta a ponto de um water cooler com radiador de 360 mm não ser o suficiente para refrigerá-lo da maneira mais eficaz.

O que podemos concluir é que nossa solução de refrigeração causa thermal throttling no chip da Intel. Isso significa que, para que o processador atinja seu desempenho máximo, o usuário precisa investir em um cooler ainda mais parrudo.

Cinebench R23

Baseado no Cinema 4D, o Cinebench testa o processador quanto à performance em multi-core e também em single-core.

Blender

O Blender usa todo o poder de processamento do chip para renderizar três cenas.

V-Ray

O V-Ray é mais um teste de renderização de imagem que usa todos os núcleos da CPU.

CPU Profile

O CPU Profile mede o desempenho do processador quanto ao número de threads em uso. Dessa forma, podemos observar o escalonamento do desempenho quanto à utilização das threads. Isso permite a criação de software otimizado para determinado hardware.

7-Zip

O 7-Zip mede a performance do chip nas tarefas de compressão e descompressão de arquivos.

Fire Strike

Benchmark para jogos baseados no DirectX 11, rodando em Full HD. Enquanto que o Ryzen 9 7950X fez 108.64 FPS, o i9 13900K fez 69.21 FPS.

Fire Strike Extreme

Benchmark para jogos baseados em DirectX 11, na resolução de 1440p. Nesse teste, o setup com Ryzen 9 79050X gerou 62.89 FPS, e o com i9 13900K gerou 61.50 FPS.

Time Spy

Benchmark para jogos baseados no DirectX 12, na resolução Full HD.

Testes com jogos

Para os testes práticos com jogos, escolhemos cinco títulos populares, como visto abaixo:

Counter-Strike: Global Offensive

Shadow of The Tomb Raider

Forza Horizon 5

Tom Clancy's Rainbow Six Extraction

Total War: Warhammer III

Temperatura e consumo

Como citei anteriormente, o i9 13900K é um processador que esquenta bastante. É necessário um cooler bem parrudo para manter sua performance máxima, e isso sai caro. Ele também consome muita energia quando todos os seus núcleos e threads estão em 100% de uso.

Estressando o Ryzen 9 7950X e o i9 13900K com o Cinebench R23, o chip da Intel atingiu o pico de consumo de 319,7 W, enquanto que a CPU da AMD chegou ao pico de 230,12 W. É uma diferença de quase 100 W. Vale lembrar que o AMD ainda pontuou mais, uma vez que conseguiu entregar desempenho consistente com o nosso water cooler.

Concorrentes diretos

O Ryzen 9 7950X é o concorrente direto do Core i9 13900K. Ambos os processadores oferecem desempenho de alto nível, tanto em jogos quanto em produtividade. É válido ressaltar que o chip da Intel leva uma ligeira vantagem na média de jogos em Full HD. Isso fica mais evidente com memórias DDR5 (por hora, testamos o chip apenas com memórias DDR4).

Já em multitarefa, a briga fica mais acirrada, com cada CPU se destacando, hora em um benchmark, hora em outro.

Vale a pena comprar o Intel Core-i9 13900K?

O Core-i9 13900K é um processador topo de linha, ideal para quem busca o mais alto desempenho para todo tipo de tarefa. A CPU tem 32 threads, e consegue entregar performance otimizada em games, além de performance extrema em aplicações de criação de conteúdo.

Além disso, o processador usa o soquete LGA 1700, lançado na geração anterior. Por isso, usuários dos chips Intel de 12ª geração não precisam trocar de placa-mãe. Essa plataforma deve suportar os chips Raptor Lake Refresh, que, possivelmente, serão lançados em 2023. Adicionalmente, você pode utilizar memórias DDR4 nessa plataforma, que são mais acessíveis que as DDR5.

Se você preferir montar um setup gamer AMD, o Ryzen 9 7950X é o que há de mais avançado na plataforma concorrente. Este processador também possui 32 threads, e consegue oferecer desempenho massivo e estável, mesmo sem o uso de um cooler extremamente caro. Neste caso, você terá que investir em uma nova placa-mãe e em memórias DDR5.